As Inteligências Artificiais (IA) têm revolucionado a introdução dos jovens no mercado de trabalho de TI. Com a nova geração de profissionais crescendo em meio à evolução da tecnologia, nota-se que eles esbanjam capacidade e adaptação com as novas ferramentas, o que os prepara para os futuros desafios durante a jornada de trabalho. Mas será que as IA trazem apenas benefícios mesmo?

A revolução da tecnologia tem o potencial de complementar o processo de aprendizado, tornando-o mais diversificado, acessível e dinâmico. “Por conta do crescimento das IA, os novos materiais de trabalho e estudo passaram a ser cada vez mais personalizados. Isso significa que há uma projeção eficaz de habilidades e técnicas, facilitando a entrada no mercado de trabalho”, declara Marco Túlio Chaparro, Presidente do Sindesei-DF.

Ainda de acordo com o especialista, o setor de Tecnologia da Informação (TI) tem o papel central na aplicação das IA, que, por mais que os jovens tenham receio das máquinas, ainda há necessidade da mão de obra humana. A junção das duas formas de trabalho impulsiona a inovação em diversos campos, desde saúde até agricultura. Para os setores tradicionalmente não tecnológicos, as ferramentas oferecem ainda novas maneiras de resolver problemas.

Automação do trabalho sem habilidades técnicas e interpessoais?

No cenário atual do mercado de TI, por exemplo, as soft skills são cada vez mais valorizadas, ao lado das competências técnicas, as hard skills. “Logo, para a nova geração, é preciso ainda mais equilíbrio entre elas, principalmente quando trabalham com a inteligência artificial. Em um campo altamente técnico como a TI, as ‘soft skills’ emergem como diferenciais cruciais. Elas facilitam a comunicação entre equipes, a gestão de projetos e o relacionamento com clientes, além de contribuírem para uma dinâmica interna mais positiva e produtiva. Junto com as habilidades operacionais, elas irão proporcionar um ambiente de trabalho mais integrado e produtivo em meio às novas ferramentas tecnológicas”, explica o presidente do Sindesei-DF.

Porém, a discussão continua quando se trata da “substituição de trabalho humano por IA”. A automação transforma a natureza do trabalho, cria novas oportunidades, porém, não ameaça as funções produzidas pelo Homem. Mesmo com o receio existente, as novas gerações se beneficiam de diversas formas, com o acesso à informação personalizada e oportunidades de aprendizado. “À medida que as IA continuam a evoluir, surgem também novas oportunidades de trabalho, como especialistas em ética da IA, engenheiros de machine learning e cientistas de dados”, conclui Chaparro.